Vacina contra dengue: México é o 1º país do mundo a aprovar uso

Vacina contra dengue

O México se transformou no primeiro país do mundo a autorizar a vacina contra dengue desenvolvida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur e de eficácia relativa. Que começará a ser aplicada no início de 2016.

Esta vacina, foi desenvolvida pelo laboratório francês Sanofi  Pasteur é a primeira contra a dengue, uma doença com milhares de novas infecções por ano, incluindo os países desenvolvidos.

O México autorizou a aplicação apenas em pessoas entre 9 a 45 anos em regiões onde a doença é endêmica.

Segundo Lucia Bricks, diretora médica da farmacêutica Sanofi Pasteur no Brasil, agora haverá um processo para definição de preço da vacina, aprovação da bula e da embalagem e a vacina devem chegar ao mercado Mexicano no começo de 2016.

Situação no Brasil

No Brasil, a mesma vacina contra dengue desenvolvida pelo laboratório Sanofi Pasteur obteve em outubro da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) a liberação comercial. Mas esta é apenas uma das autorizações necessárias para que o produto seja lançado no Brasil. A empresa ainda aguarda a concessão do registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que está analisando os documentos que foram apresentados pela farmacêutica em 31 de março.

A vacina teve de ser submetida à avaliação da CTNBio porque contém organismos geneticamente modificados (OGMs): ela combina o vírus da febre amarela com a parte dos vírus da dengue que provocam a resposta imune em quem recebe a vacina.

Segundo a Anvisa, o pedido está sob análise em regime de prioridade. A agência afirma também que enviou à Sanofi quatro exigências técnicas, das quais três foram cumpridas.

Eficácia contra dengue

Estudos clínicos demonstraram que a vacina foi capaz de reduzir em 60% o número de casos de dengue em um estudo que envolveu quase 21 mil crianças e adolescentes da América Latina e Caribe. Em outro estudo, feito com mais de 10 mil voluntários da Ásia, a vacina conseguiu reduzir em 56% o número de casos da doença.

Outro estudo, feito a partir de uma análise combinada dos testes clínicos na Ásia e na América Latina, concluiu que a vacina é mais eficaz a partir dos 9 anos de idade. A partir dessa faixa etária, a vacina é capaz de proteger 66% dos indivíduos contra a dengue.

Vacina contra dengue do Instituto Butantan

Existem outras iniciativas de desenvolvimento da vacina contra dengue, inclusive por instituições brasileiras. O Instituto Butantan, em parceria com os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH), desenvolvem um desses projetos. A CTNBio(CTNBio  é uma instância colegiada multidisciplinar, criada através da lei nº 11.105, de 24 de março de 2005, cuja finalidade é prestar apoio técnico consultivo e assessoramento ao Governo Federal) já aprovou, em agosto, a realização de testes clinicos de fase 3 com essa vacina.

Segundo a Anvisa, as informações técnicas finais sobre a estabilidade da vacina e os resultados dos estudos de fase 2 foram enviados à agência pelo Butantan nesta terça-feira (8). “A Anvisa pretende finalizar a avaliação desses dados até o final da próxima semana. Caso tudo esteja de acordo com as exigências técnicas, o Instituto Butantan será autorizado a iniciar os estudos de fase 3”.

Já a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está envolvida em dois projetos

Os cientistas estão trabalhando incansavelmente para o desenvolvimento de uma eficiente vacina que elimine a dengue 100% dos casos. Mais para que se obtenha êxito total é preciso que a população trabalhe incansavelmente na extinção de toda forma de criadores da larva do mosquito aedes aegypti na área urbana.

%d blogueiros gostam disto: