Sonda Kepler descobre painel solar alienígena

A NASA lançou em 06 de março de 2009 o seu primeiro observatório espacial, composto pela sonda Kepler, cuja finalidade é procurar por exoplanetas, (planetas exteriores ao sistema solar semelhantes a terra), lançado ao espaço na base militar de Cabo Canaveral, na Flórida. A sonda observa em sua viajem pelo espaço mais de 100.000 estrelas brilhantes e detecta alguma ocultação periódica de uma estrela para verificar possível planeta em transito

A Sonda Kepler capta algo muito estranho em estrela distante!

Nessa viagem interplanetária a sonda Kepler detectou um estranho padrão de luz vindo de uma enorme estrela, localizada a mais 1.500 anos-luz da terra na constelação de Cignus.

sonda-kepler

A Agência Espacial Americana informou que vem há mais de quatros anos monitorando esses padrões estranhos de luminosidade dessa estrela que recebeu o nome de KIC8462852.

A verdade dos fatos é que a estrela KIC 8462852 possui variações extremas em seu brilho o que traz incertezas para o resultado de um exoplaneta em trânsito.

O que faz da KIC 8462852 ser diferente?

É que geralmente um tránsito faz com que o brilho de uma estrela escureça por mais ou menos 1% em uma base periódica. Mas esta estrela tem enormes quedas no seu brilho de até 22%. É algo nunca visto por nossos cientistas.

kic8462852

A astrônoma Tabatha Boyajian, da renomada Universidade DE Yale disse: “Nós nunca tínhamos visto nada como esta estrela. Foi muito estranho. Achamos que os dados pudessem estar incorretos, mas tudo checava.”

Existe um significativo número de explicações até um pouco plausíveis, mas perfeita nenhuma

  • Há uma tese sobre algum tipo de colisão planetária ocorrida num passado não muito distante que fez com que enormes pedaços de detritos planetarios cercassem a estrela. Ocorre que o pó criado por esta gigantesca colisão iria emitir luz infravermelha em excesso, o que não foi observado e nem identificado na área ao redor da estrela.
  • A NASA que afirma que esta anomalia é causada por uma série de cometas que circundam a estrela, tem sentido, mas não explica o enorme bloqueio na luz da estrela.
  • A renomada astrônoma Tabetha Boyajian na procura por uma explicação mais convincente, consultou o astrônomo Jason Wright, um especialista em busca de assinaturas de civilizações alienígenas, de acordo com Wright foi construído ao redor da estrela KIC 8462852 por uma avançada civilização alienígena, uma gigantesca esfera de Dyson, que é uma teoria consistente com o resultados do estudos até então realizados.

É possível e tecnicamente viável que uma civilização alienígena vivendo nas proximidades da estrela tenha construído ao redor desta uma enorme estrutura para captar a energia.

A esfera de Dyson vem a ser um conjunto de centenas de milhares de painéis solares em orbita da estrela para aproveitar a energia da estrela.

Os astrônomos Wright e Boyajian, estão agora se dedicando ao estudo de sinais de rádio emitidos em torno da estrela. Pretendem apontar uma antena de rádio em direção a estrela para descobrir se ela emite ondas de rádio em freqüências associadas com atividades tecnológicas.

Wright admite que esta explicação é improvável. Mas afirma que este é um fenômeno inegavelmente estranho, que portanto, só pode haver uma explicação igualmente estranho e vale a pena investigar.

Caro leitor venho pedir que reflita, acha que foi por acaso o encontro dessa estrela pela sonda Kepler, já pensou no custo gigantesco de monitorar e operar um satélite, a NASA constrói uma sonda espacial e define o curso a ser seguido por meio de cara ou coroa, não acha que esse telescópio já saiu da terra com as coordenadas já dadas por uma civilização avançada alienígena, Caso seja uma estrutura alienígena, a NASA vai confirmar e divulgar ao público, onde isso vai parar?

Na verdade eles vão divulgar, mas conforme a agenda deles, pois há tempo para tudo debaixo desse sol, eles já estão entre nós, vai ser a mesma historinha, o mesmo blablablá…Não existe ET, não existe ÓVNIS. É balão meteorológico, ilusão de ótica. Comunicado oficial, não é sim e sim é não.

%d blogueiros gostam disto: