Estados Unidos e Cuba fazem história

Estados Unidos e Cuba restabelecem relações diplomáticas há exato um ano. Histórico!

Num gesto de grandeza universal, Barack Obama e Raul Castro, dois homens inteligentes e de sensibilidade apurada sentaram-se a mesa para conversar e superar suas diferenças ideológicas e políticas.

Num aperto de mãos Barack Obama e Raul Castro selaram acordo histórico de reaproximação das duas nações e dos seus respectivos povos.

Todos são americanos

Foi na quarta-feira, do dia 17 de dezembro de 2014 que o governo americano anunciou mudanças históricas com Cuba, a principal delas e que ambos os países vão restabelecer as relações diplomáticas e com isso abre-se um canal de conversas para suspender o embargo econômico, “o bloqueio comercial e financeiro” que com certeza causa enormes prejuízos humanitários e financeiros ao povo cubano.

Ao normalizar as relações com Cuba, o governo americano através dos poderes (executivo, legislativo e judiciário) representantes do povo, passa ao mundo o que os Estados Unidos têm de melhor que é o seu povo: um povo inteligente, honrado, educado, amigo, generoso e amante da paz e pronto a ajudar o próximo.

Com um simples e corajoso aperto de mãos, milhões de dólares foram economizados e milhões de dólares serão ganhos e um número enorme de pessoas terão uma melhora significativa em suas vidas.

Riquezas serão geradas, empresas serão criadas, empregos serão criados o comercio crescerá e se fortalecerá e laço de amizades se firmara porque ‘todos são americanos.

Esse gesto histórico de Barack Obama de reaproximação com Cuba trará consequências benéficas tais como: a solução da crise financeira vivida pelo país e suas consequências sobre a população cubana e a normalização do continente e a paz reinante entre os povos.

Fim do embargo econômico a população cubana

Espera-se que agora o Congresso americano dê a sua contribuição nesse processo histórico e de proporções universal.

Já que a bandeira americana agora trêmula no alto da embaixada americana em Havana e debate de forma séria, civilizada e com visão humanitária pelo fim da lei que instituiu o embargo econômico.

bandeiras

Com este gesto apoiar uma vida melhor para as crianças cubanas, para os jovens cubanos e para os idosos cubanos. Enfim ao povo cubano por meio da distribuição de riquezas.

Deve-se ressaltar que a costura desse acordo só foi possível pela intercessão do Vaticano, pelo empenho do Papa Francisco que intercedeu de forma firme para a solução desse velho conflito entre esses países.

A verdade é que há um longo caminho pela frente até a solução de todos os conflitos, tanto de ordem governamental, como de ordem social e humana. Mais é verdade também que o primeiro passo foi dado para a normalização completa das relações bilaterais e sociais.

Espera-se que Barack Obama, como presidente dos Estados Unidos a maior nação democrática do planeta, advogado e professor de direito, acabe com a prisão de Guantánamo.

Guantánamo
Soldado caminha perto de cerca na prisão de Guantánamo, em foto de 9 de abril de 2014 (Foto: AFP Photo/Mladen Antonov)

Até os índios tem o seu conselho de anciãos para julgar o conflito entre os seus. Nada justifica prender um individuo sem julgamento. Isso não é humano, isso não é democrático e nem republicano. Se alguém infringiu a lei. Julgue-o segundo a lei. 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: