Potência da bomba H da Coreia do Norte é assombrosa

O mundo condena o teste da bomba H, feito pela Coreia do Norte

A famigerada Coreia do Norte confirmou a explosão de uma bomba de hidrogênio, popularmente conhecida como bomba H, na área de testes nucleares de Punggye-ri, às 10hs00, horário local.

Caso se confirme o teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, este fato além de ameaçar seriamente a paz na região, representará também uma clara violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

O tremor, causado pela explosão foi de magnitude 5,1 e foi detectado às 10hs00, horário local( 23hs30 da terça  feira em Brasília), próximo cerca de 50 km da cidade de Kilju, nas imediações da área de testes nucleares de Punggye-ri na Coreia do Norte.

Mattthias Grosse Perdekamp, professor em controle de armamentos nucleares da Universidade de Illinois, nos EUA, afirmou que agora a Coreia do Norte possui a arma de destruição mais poderosa já construída pelo homem.

Coreia Bomba
Sul-coreano assiste, em Seul, a reportagem da TV da Coreia do Norte sobre o teste.

E que seu poder de destruição é maior do que as bombas atômicas que destruíram as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki em plena segunda guerra mundial.

Certo é que está explosão superou até mesmo a potência da “Bomba-Czar”, uma bomba de hidrogeno de 50 megatons detonada pela URSS em outubro de 1961.

A “bomba-czar” era três mil vezes mais poderosas que a bomba atômica lançada sobre Hiroshima e Nagasaki em 1945.

A bomba atômica lançada sobre Hiroshima foi batizada com o singelo nome de “Little Boy” (seria cômico se não fosse trágico) e sua energia destrutiva gerada pela fissão de átomos de urânio ou de plutônio.

Já as bombas de hidrogênio, funcionam por um processo de fusão nuclear, que é o oposto da fissão: ou seja, em vez de partir ou quebrar diversos átomos, nesse caso, os isótopos do hidrogênio deutério e trítio, se juntam formando núcleos maiores antes de explodir.

Especialistas, contam que o processo de criação da bomba H, é extremamente complexo e por isso havia certo ceticismo por parte da comunidade internacional da capacidade da falida e esquálida Coreia do Norte desenvolver a bomba H.

A primeira explosão nuclear é encarregada de gerar elevadíssima temperatura necessária para que os isótopos de hidrogênio se fundam, provocando um evento chamado termonuclear.

A potência final desse evento físico é determinada pelo volume de hidrogênio, mas precisamente seus dois isótopos radioativos, os simpáticos elementos o deutério e o trítio.

Para se ter a ideia, a energia nuclear liberada na fusão tem a mesma origem que a energia que sustenta a vida na Terra: o Sol, afirma Perdekamp.

Essa maligna bomba de hidrogênio, tem apenas um único objetivo a “DESTRUIÇÃO”.

Para John Nilsson-Wright, do programa de Ásia do centro de estudos Chatham House, o teste indica que Pyongyang continua investindo em seu programa nuclear sem dar importância aos significativos custos políticos e diplomáticos da empreitada.

Fato é diante da complexidade de se fabricar uma bomba dessas, até mesmo por um país rico, imagine um país paupérrimo como a Coreia do Norte. Tem um primo rico por trás. Onde isso vai parar?

Tsar perdeu o lugar de Maior Teste de Bomba Atômica

%d blogueiros gostam disto: