Edward Snowden e a segurança do cidadão

Criptografia é o estudo dos princípios e técnicas pelas quais a informação pode ser transformada da sua forma original para outra ilegível, de forma que possa ser conhecida apenas por seu destinatário (detentor da “chave secreta“), o que a torna difícil de ser lida por alguém não autorizado.

Edward Snowden ex-técnico em segurança digital da NSA (Agencia de Segurança Nacional), que revelou o programa PRISM, que vem a ser o acordo de monitoramento e vigilância feitos por meios de grandes empresas de telecomunicações a todos os cidadãos, empresas e governos em toda parte do mundo.

Revela que: “estamos vivendo a era do Big Brother” em que somos vigiados e monitorados em tudo o que fazemos por meios de satélites que dispõem de mecanismos tecnológicos sofisticadíssimos que nos ouvem e nos veem.

Portanto, hoje em dia, toda civilização avançada tende a criptografar suas comunicações com técnicas que faz com que as mensagens fiquem ”ilegíveis” para qualquer um que não tenha a “chave certa” e assim evitar o furto de suas informações.

Se há um sujeito tentando ouvir sua ligação hoje em dia, ou bisbilhotando e rastreando e seu e-mail, gmail, twitter e facebook, a única maneira de manter a inviolabilidade da sua privacidade é utilizar a tecnologia moderna da criptografia.

Quando estamos sendo monitorados e vigiados por meio de satélites é porque os nossos sistemas de comunicação possuem tecnologia primitiva e assim possibilitam aqueles que nos vigiam o controle total de vigiar e não ser vigiado, por utilizar um avançado modelo padrão de criptografia em seus instrumentos de vigilância e monitoramento.

Snowden em um filme de 12 minutos, explica como usar software livre para embaralhar as mensagens, utilizando uma técnica chamada Public Key Encryption  (PKE).

cripitografado

Sugerido por jns

Do Daily Mail

O guia Snowden para criptografar mensagens da Internet

A descrição do vídeo no Vimeo diz: “Seguindo estas instruções, você vai permitir que qualquer fonte potencial no mundo possa enviar uma mensagem poderosamente criptografada que só você poderá ler, mesmo que vocês nunca tenham se encontrado ou trocado informações de contato.”

O cidadão deve aprender a misturar os e-mails, para assim defender o seu direito a privacidade, usando técnica de criptografia em seu celular. Deve-se usar a criptografia de chave pública para codificar as mensagens on-line e assim evitar os riscos a liberdade imposta pela vigilância das agências de espionagem para que estas não mais possam espionar o cidadão de forma ilegal.

Mike Rispoli, um porta-voz da Privacy International, ecoou estes sentimentos, mas acrescentou que é preciso haver mais pressão sobre o governo para impedi-lo de espionar a vida privada das pessoas comuns.

“É fundamental que as pessoas usem toda a tecnologia à sua disposição para manter as suas comunicações privadas e seguras”, disse ele.

“Todos nós devemos apoiar a criação e o uso generalizado dessas ferramentas. Em última análise, no entanto, as pessoas nunca devem ter que fazer esforços adicionais para protegerem os seus direitos.”

“É por isso que precisamos de políticas, assessoria jurídica e tecnológica para apontar soluções e garantir que os nossos direitos de privacidade sejam protegidos.”

“Enquanto as pessoas usam a tecnologia para a capacitação, também devemos desafiar as políticas do governo e das agências de inteligência para acabar com a vigilância ilegal em massa sobre as pessoas ao redor do mundo.”

Javier Ruiz, diretor de política do Open Rights Group, disse: “Os e-mails são como postais e a criptografia é um envelope inviolável. É óbvio que jornalistas, deputados, médicos, advogados ou qualquer pessoa que transmita informações confidenciais on-line deve sempre criptografar os seus e-mails para manter a segurança das suas informações”.

Mike Rispoli, um porta-voz da Privacy International, ecoou estes sentimentos, mas acrescentou que é preciso haver mais pressão sobre o governo para impedi-lo de espionar a vida privada das pessoas comuns.

“É fundamental que as pessoas usem toda a tecnologia à sua disposição para manter as suas comunicações privadas e seguras”, disse ele.

“Todos nós devemos apoiar a criação e o uso generalizado dessas ferramentas. Em última análise, no entanto, as pessoas nunca devem ter que fazer esforços adicionais para protegerem os seus direitos.”

“É por isso que precisamos de políticas, assessoria jurídica e tecnológica para apontar soluções e garantir que os nossos direitos de privacidade sejam protegidos.”

Estão espionando as comunicações de, praticamente, todos que usam a Internet, monitorando as atividades das redes sociais em tempo real, acompanhando e registrando a localização de bilhões de dispositivos móveis.

“Precisamos entender que não existe almoço grátis. Quando nos oferecem serviços gratuitos, nós e as nossas informações é que são o pagamento.”

Fonte: Tags  Wikipédia, Tecmundo.

%d blogueiros gostam disto: